Plus500 does not provide CFD services to residents of the United States. Visit our U.S. website at us.plus500.com.

A História da Bitcoin

Data de Modificação: 06/08/2023

Com uma história relativamente curta, Satashi Nakamoto, Blockchain e Bitcoin tornaram-se termos familiares que ultrapassam os limites de como vemos as moedas globais.

Tão popular quanto nas suas origens, a Bitcoin também se tornou notória pelas oscilações de preço que costumam chegar às notícias e chamar a atenção dos operadores financeiros. Também levou à criação de outras moedas digitais, como foi o caso da Ethereum, Litecoin. A Bitcoin deu origem ainda a outras criptomoedas que foram criadas quando os nodes optaram por não atualizar para o protocolo mais recente, criando uma nova moeda a partir dos protocolos antigos de Bitcoin, como é o caso da Bitcoin Cash ABC (BABUSD).

Quais as moedas que existiam antes da Bitcoin?

É verdade que a Bitcoin é considerada a progenitora das criptomoedas, com muitos a considerá-la a primeira criptomoeda, mas existem muitas outras moedas que são consideradas as suas predecessoras. Antes da Bitcoin, houve muitas tentativas de criar criptomoedas, como a Blinded Cash, a DigiCash, B-Money, a Bit Gold, a Hashcash e mais. Mas nenhuma dessas tentativas conseguiram alcançar o sucesso e a influência da Bitcoin.

Quando e porquê foi a Bitcoin Criada?

Bitcoin foi criada em 2009 como a primeira moeda descentralizada a rodar na tecnologia Blockchain.

Mencionada pela primeira vez num white paper publicado por alguém com o pseudónimo de Satoshi Nakamoto, a Bitcoin prometeu a possibilidade de realizar transações livres do governo, contando com assinaturas digitais e moedas digitais em vez de moedas fiduciárias emitidas pelos governos centrais, como o Euro e o dólar americano, entre outros pares Forex Todas as transações são guardadas num registo de acesso público, garantindo a transparência.

Os mineiros, os indivíduos que oferecem o seu poder de computação pessoal à rede para mantê-la em funcionamento, são pagos em Bitcoin e têm voz ativa nos novos protocolos adaptados à rede blockchain. Isto permite que funcionem como uma espécie de banco central, zelando pelo melhor interesse da moeda digital como um coletivo. É semelhante ao papel que os bancos centrais, como p ECB e o FOMC têm na determinação do estatuto de moedas fiduciárias.

Os protocolos descentralizados e o blockchain do Bitcoin exigem que todos os nodes verifiquem cada transação. Como esses computadores estão espalhados por todo o mundo e operados por vários indivíduos, é considerado muito difícil hackear ou corromper.

Isto é considerado por alguns como sendo um sistema seguro e tem captado continuamente o interesse público desde a sua criação.

Apesar da Bitcoin ser bem conhecida entre os investidores pelas suas oscilações de preço, muitos acreditam que esta moeda digital veio para ficar.

Mapa mundial com imagem da Bitcoin no centro.

De Que Maneira é que Bitcoin Difere das Outras Criptomoedas?

A Bitcoin é a moeda digital original, mas desde então foram criadas outras. Contudo, a Bitcoin conseguiu permanecer única em vários aspetos, ao ponto em que as outras criptomoedas são denominadas Altcoins (moedas alternativas à Bitcoin)...

Desde 2009, têm sido desenvolvidas outras criptomoedas com potencial para gerir economias digitais como, por exemplo, a Ethereum. Elas concentram-se no desenvolvimento de serviços digitais e contratos que podem ser pagos através da utilização das suas próprias moedas digitais específicas. Por exemplo, Axie Infinity (AXSUSD) é, na realidade, uma moeda e token nativos concebidos para pagamentos e operação na sua própria rede e jogo, enquanto que a Bitcoin pode agir como moeda fiduciária.

A Bitcoin permaneceu uma forma de moeda multiplataforma. Uma vez que não é limitada a utilização em plataformas específicas só de Bitcoin, esta criptomoeda pode ser utilizada para fazer compras em qualquer lugar no mundo que a aceite. Além disso, o objetivo principal da Bitcoin é aumentar a velocidade de transações sem limitações impostas por governos.

Em 2020, a Bitcoin apareceu nas notícias quando o Paypal (PYPL) anunciou que esta moeda popular será reconhecida como pagamento na sua plataforma.

Mineração de Bitcoin

A mineração refere-se ao processo de utilizar computadores de potência elevada para validar transações na blockchain, através da solução de equações matemáticas complexas.

Existem criptomoedas minadas e não-minadas e a Bitcoin é considerada um exemplo do primeiro tipo. A Bitcoin é suportada por indivíduos que fornecem poder de computação, de computadores individuais a grupos de servidores, para manter o livro-razão ativo e verificado.

Como compensação, os mineiros recebem uma quantidade predeterminada de Bitcoin como pagamento pelo número de transações que aprovam. À medida que são criadas mais Bitcoins, existem eventos de "redução a metade" incorporados no protocolo, cada vez que são processados 210.000 blocos.

É denominado evento de redução a metade porque a quantidade que Bitcoins que um mineiro recebe pelo processamento de um bloco é reduzido ao meio quando estes patamares são cruzados. Enquanto que outras criptomoedas, como, por exemplo, a Cardano (ADA), a Solana (SOL), e a Polkadot (DOT) são não-mineráveis, o objetivo por detrás de criptomoedas não-mineráveis e mineráveis é o mesmo. Ambos os tipos de criptomoedas têm o objetivo de validar transações, e, eventualmente, todas as transações na blockchain têm de ser validadas, de uma maneira ou de outra.

Verificação de Bitcoin e Tempo dos Blocos

Tempo dos blocos refere-se à quantidade de tempo que os mineiros precisam para verificar transações de Bitcoin num bloco e produzir um novo bloco na blockchain. A rede de Bitcoin requer que todos os nós ativos sejam capazes de verificar a mesma transação e partilhar o seu livro-razão com todos os utilizadores da rede. Isto mantém o sistema transparente e mais difícil de manipular.

Apesar de não ser exclusivo à Bitcoin, é um aspeto no qual outras moedas digitais relaxaram as suas regras, para reduzir o tempo de processamento.

Uma das desvantagens mais significativas da Bitcoin é o longo tempo de verificação, que pode demorar 10 minutos, em média. Em comparação, a Ethereum, uma das maiores concorrentes da Bitcoin, demora aproximadamente 13 segundos.

Quantas Bitcoins Existem?

A Bitcoin tem uma quantidade máxima de 21 milhões de moedas que podem ser minadas ou criadas. Este limite de 21 milhões é denominado um "limite máximo" e está codificado no seu código fonte e imposto pelos nós na rede. Quando chegar a esse limite, não poderão ser criadas mais Bitcoins e os mineiros poderão recolher as taxas de transações pelo seu trabalho enquanto minam Bitcoin.

Em comparação, a Ethereum (ETHBTC) não tem limite relativamente ao número de moedas que podem ser minadas.

Apesar de haverem diferenças entre cada tipo de criptomoeda, a Bitcoin permanece um instrumento favorito para os negociantes e tem a maior capitalização de mercado em comparação com as outras criptomoedas no mercado. Todas as criptomoedas são extremamente voláteis e sujeitas a vários fatores de mercados.

*Sujeito a disponibilidade de operadores.


Aproveite ao máximo a Plus500

Expanda o seu conhecimento

Aprenda perceções através de vídeos informativos, artigos e guias com a nossa abrangente Academia de Negociação.

Explore a nossa +Insights

Descubra o que é tendência dentro e fora da Plus500.

Prepare as suas negociações

O nosso calendário Económico ajuda-o a explorar os eventos do mercado mundial.

Precisa de ajuda?
Suporte 24h/7d